terça-feira, 26 de junho de 2012

GATO AO SOL

Foto: André Mann

Uma vírgula,
Um desejo.
Quero estar no lugar
e hora certos
para que a paz me alcance

Quero uma pílula
para domar os males
e deles fazer antídoto
Quero o fogo na barriga
durante a criação

Quero um manto de calor
ficar enroscadinho
em meu cesto
Quero mãos de afago
para o bem do mundo

Quero uma certeza
que se desfaça
ante a verdade
Quero a tranqüilidade
de um gato ao sol

e serve  a rigidez de um tijolo
a praticidade da matemática
serve a  precisão do pêndulo
o  polo positivo  do imantado

Quero ficar trancado
num recipiente só meu
manter meus hábitos
esquivo
vontade-própria
uma vírgula,

Me parece que tudo embaralhado
e versos jogados para o alto
o que cair e não quebrar
é pura sorte, então
é poesia.

(Ricardo Mann)

2 comentários:

  1. A poesia é assim... misturando tudo, um pouco de vida, sentimentos, dores esquecidas, amores e saudades... aparece a carinha de alguém. Achei a minha cara olhando para os meus três filhotes gatinhos (Bia, Titi e Fofuro!).

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir