quinta-feira, 28 de julho de 2011

Se esparramando na paisagem





Sem comedimento
ela se esparrama
se insere totalmente
no que é compreendido pelo olhar

Não tem dúvidas
que pode interferir
e lançar mão e braços
na paisagem que lhe pertence

Ela derrama seu sorriso
entorna seus cabelos
extrapola o enquadramento
da amplitude fotográfica

Ela quer fazer parte
da cidade, do mar
do céu, do verde
e da vida de seu habitante.

(Ricardo Mann)



3 comentários:

  1. ADOREI AS FOTOS QUE VEM JUNTO COM O POEMA , PARABÊNS!! BEIJOSS ROSE

    ResponderExcluir
  2. Fala, Mann! Tá sumido, meu amigo! Não passa mais no meu site, não deixa aqueles comentários jocosos fundamentais para minha carreira de escritor. Tudo bem por aí? Pelas fotos e pelo clima de felicidade no ar, posso advinhar que sim. E o aniversário - vai ter festança? Qualquer coisa, me avise. Virgínia também manda beijos e lembranças. Um grande abraço pra você (vocês!!!).

    ResponderExcluir