quinta-feira, 28 de julho de 2011

Se esparramando na paisagem





Sem comedimento
ela se esparrama
se insere totalmente
no que é compreendido pelo olhar

Não tem dúvidas
que pode interferir
e lançar mão e braços
na paisagem que lhe pertence

Ela derrama seu sorriso
entorna seus cabelos
extrapola o enquadramento
da amplitude fotográfica

Ela quer fazer parte
da cidade, do mar
do céu, do verde
e da vida de seu habitante.

(Ricardo Mann)