sábado, 9 de outubro de 2010

Meu Irmão John


Quando eu era mais jovem e usava cabelo comprido, além dos meus inseparáveis óculos, meus amigos me chamavam de John Lennon. Sempre tive muitos apelidos, alguns até indesejáveis, mas este era o meu preferido. Desde pequenos somos acostumados a amar o Beatles e estender este afeto aos seus integrantes. Comigo não foi diferente.
Porém nem tudo foi magia no mundo beatle e o John foi um dos primeiros a esclarecer que somos todos humanos, falhos e defeituosos. Nunca se arvorou ser exemplo de conduta e coerência. Sabemos, através de revelações recentes, que sua busca por sucesso afetou profundamente sua vida familiar e a pressão de ser um superstar o levou a tomar atitudes incompatíveis com o que se enxergava em sua obra.
Nunca cobrei de meus ídolos uma conduta irretocável. Como poderia se minha própria vida pessoal é cheia de falhas? Sempre me identifiquei muito com John. O sonhador, idealista e também o inconseqüente e, às vezes, raivoso.
Gostaria muito de vê-lo com 70 anos. É uma pena que ele não envelheceu. Garanto que seria ainda uma fonte de experiência e sabedoria humana e mundana.
Não passou dos 40, portanto o vejo como um irmão (mais novo, hehehe), mas ainda temos muito que aprender com ele. Aproveitemos...